ORGANIZAÇÃO
O plano com o qual você começa nunca é o plano com o qual você termina.

 

Ou, dizendo de outra forma, o seu planejamento inicial nunca é exatamente o que vai te fazer conquistar a sua meta. O seu plano inicial é exatamente isso: um plano. Um trampolim que vai te dar o impulso necessário para que você ganhe altura e força. Mas nunca, jamais, você vai conseguir prever ou planejar todas as fases do caminho.

Nunca mesmo.

Os seus objetivos de vida e as suas metas do ano acontecem da mesmíssima forma que todas as outras coisas da sua vida. Parte delas são causadas por você – ou seja, são fruto direto das suas decisões e de todo o seu glamuroso livre arbítrio – e parte delas são causadas pela vida. E aí você pode chamar isso do que você quiser: acaso, coincidência, karma, Deus, forças invisíveis do Universo que estão sempre em movimento, etc.

Seja lá o que for, acredite: está sempre rolando.

E olha que o mais interessante não é nem isso. Melhor ainda é perceber que as melhores coisas da nossa vida, às vezes, jamais teriam acontecido se nós tivéssemos batido o pé e exigido que tudo saísse conforme os nossos planos. Os resultados finais das suas metas e dos seus objetivos podem nunca florescer com toda a sua potência se você tentar controlar demais a situação, entende? Tem coisas com as quais a gente não se mete.

A vida tem desígnios e caminhos muito próprios e nem tudo – pouquíssima parte desse “tudo”, na verdade – está sob o nosso controle. E talvez já tenha ficado óbvio para você à essa altura do campeonato, mas quase todas as ideias que eu ventilo aqui nessas conversas são aquelas que eu mesma mais preciso aprender.

E, ao mesmo tempo, as que a maioria das pessoas costuma deixar de lado.

Todo esse papo de organização é delicioso e eu poderia ficar o dia inteiro discutindo aplicativos, técnicas, ferramentas e teorias. Mas o coração do negócio ainda é a atitude que está por trás de tudo isso. E o que a vida tem me mostrado, cada vez mais, é que eu preciso mesmo ocupar o meu lugar. A gente não pode querer planejar e controlar tudo o tempo inteiro. Não só é literalmente impossível, como ainda pode ser justamente isso o que vai sufocar e matar os seus melhores projetos.

Qual é a próxima ação que eu posso cumprir para levar esse projeto pra frente?

Se pergunte isso todos os dias e vai fundo, meu filho. O próximo passo – de um projeto, de uma meta, de uma área da sua vida ou de um objetivo anual – é realmente a única coisa sobre a qual você tem controle. É melhor você aproveitar essa chance e vestir essa responsabilidade enquanto você pode, aliás. Ela nem sempre vai estar aí dando sopa.

Fazer a sua parte não é o mesmo que ser obsessivo.
Todos os dias você tem a chance de fazer uma melhoria de 1% em algum aspecto da sua vida. Todo santo dia. E isso, ao longo de um ou dois anos, feito com constância religiosa, vai te levar muito longe. Muito mais longe do que você pode imaginar. Mas você também precisa aprender a dar espaço e a criar tempo para que a sua própria vida e as suas próprias circunstâncias te dêem um empurrãozinho, vez ou outra.

E se você esquecer de todo o resto, fica só com essa ideia: relaxa.

Abra os olhos para o seu momento presente e escute o que a sua vida está te dizendo hoje. Não tem nada de místico ou de espiritual nisso, aliás. É um lance bem mundano, bem prático e, até certo ponto, bem cético. O que é que a sua família pediu de você hoje? Quais foram as oportunidades e as demandas que surgiram no seu trabalho hoje? Qual foi o maior imprevisto que rolou na sua semana até agora? E como você lidou com ele?

O que você está sentindo hoje?

O seu corpo está sentindo alguma dor ou alguma tensão maior? Ou você está super pilhado e cheio de energia? Para qual ideia a sua mente tem apontado ultimamente? Qual vontade diferente ou incomum pipocou na sua cabeça hoje? Qual pérola de sabedoria, totalmente desavisada e imprevista, cruzou o seu caminho nos últimos dias?

Repara mais.

Eu não quero te iludir e muito menos te enganar. A sua organização nunca vai ser cem por cento perfeita e equilibrada e o seu planejamento inicial jamais vai ser, tim-tim por tim-tim, o que vai acontecer de verdade. Mas se você canalizar a sua preocupação com o futuro em pequenas ações diretas e constantes para melhorar o seu presente, bicho: cê vai conquistar tudo o que você quer. E mais uma penca de coisas que você nem imaginava.

Estamos entendidos? Então tá bom.

Se essa carapuça caiu direitinho em você, deixa seu comentário aqui embaixo e me conta um pouco como você costuma lidar com todo esse estresse do planejamento. Você tem conseguido deixar as coisas rolarem? Ou esse ainda é um objetivo difícil pra você?

Tô aqui para conhecer mais vocês, meu povo lindo! Semana que vem estamos aí. 🙂

Texto originalmente escrito por Ana Carolina do Blog euorganizado.com

Comentários

Comentários