Você já imaginou plantar sua árvore frutífera em um vaso e cultivá-la em um pequeno espaço,  como dentro do seu apartamento?

Nós da Pierre Imóveis achamos  interessante dividir com vocês a matéria que explica o passo a passo do cultivo das árvores frutíferas em vasos. Temos certeza que irão adorar o tema.

 

Seguem as informações:

Para a implantação perfeita de uma miniárvore, a indicação é que o vaso tenha 80 cm de largura por 85 cm de profundidade. Para que a plantação não seja prejudicada, é indispensável impermeabilizar o vaso; lembrando que a terra não pode ser dura ou empedrada. O melhor a fazer é inserir pedrinhas e uma camada de argila ou argila expandida para a drenagem da água, o que contribui para saúde e desenvolvimento da raiz.

Alguns cuidados especiais na adubação fazem toda a diferença no resultado final do seu plantio. Os adubos com liberação lenta, ricos em fósforo, duram até três meses e são os mais indicados para as árvores frutíferas, e a inserção de terra vegetal e húmus de minhoca também auxilia. A rega é outro ponto primordial e precisa ser realizada três vezes durante a semana em quantidade razoável, sem deixar a terra encharcada. As mudas precisam de iluminação solar, e o mínimo indicado é de quatro horas ao dia. As espécies preferidas para cultivo são: acerola, pitanga, romã, jabuticaba, pêssego, limão siciliano, mirtilo, amora e cajá-manga.

Agora vamos ao passo a passo para o plantio superfácil de uma árvore frutífera em vaso. Acompanhe:

 

Material

– 1 muda de árvore frutífera (neste caso foi usada a Cerejeira do Rio Grande);
– Argila expandida;
– Terra vegetal;
– Cascalho pequeno;
– Vaso de terracota (seu tamanho deve ser proporcional ao tamanho da muda);
– Manta drenante;
– Pá.

Importante: a quantidade de terra, argila e cascalho vão depender do tamanho da muda e do vaso, mas a recomendação é comprar um saco de cada para futuras manutenções.
1º PASSO:
Coloque a manta drenante no fundo do vaso para a terra não escapar pelo dreno e também para permitir que a planta respire.
2º PASSO:
Cubra a manta drenante com a argila expandida. O recomendado é uma camada de cerca de cinco centímetros.
3º PASSO:
Sobre a argila expandida, coloque mais um pedaço da manta drenante.

 

4º PASSO:
Coloque uma camada de terra para que a raiz da muda fique na altura correta (o topo da muda, onde começa o caule, deve ficar a mais ou menos três centímetros da borda do vaso).
5º PASSO:
Remova cuidadosamente o plástico que envolve o torrão. Ele precisa ser mantido íntegro para que a raiz não seja prejudicada, o que pode atrapalhar o desenvolvimento da árvore.
6º PASSO:
Centralize a planta no vaso.
7º PASSO:
Complete os espaços com mais terra, mas não ultrapasse o colo do torrão, que é a região de transição entre o tronco e a raiz da planta.
8º PASSO:
Compacte a terra com as mãos até que a superfície fique uniforme.
9º PASSO:
Espalhe o cascalho ao redor da planta para fazer o acabamento.
10º PASSO:
Faça a primeira rega. Esta deve ser abundante para retirar as bolhas de ar e assentar o torrão.

 

 

Pitangueira – Própria para clima quente e úmido, a pitangueira fica bem em vaso, precisa de sol pleno e ser regada constantemente. Sensível ao frio, não suporta geadas. Dependendo do diâmetro e altura do vaso, pode atingir 2 metros de altura. Floresce entre o final do inverno e início da primavera. Os frutos surgem quase simultaneamente à florada.

Jabuticabeira – A jabuticabeira, plantada em vaso, não necessita de sol direto, mas é sensível ao frio. Portanto, terraços cobertos são os mais indicados. Atinge em média 2 metros de altura, dependendo do tamanho do vaso. Os frutos começam a amadurecer no final do inverno, prolongando-se até o verão. As regas devem ser diárias no verão, deixando a terra sempre úmida, mas podem diminuir de frequência no inverno.

Limoeiros – Limoeiros podem ser cultivados em vasos desde que em áreas com luz e circulação de ar, eles necessitam de pelo menos seis horas diárias de exposição solar. O limão necessita de muita água para crescer, mas ele não se dá bem com solo encharcado. Dose bem a quantidade de água.


Romãzeira – Para o cultivo em vaso, a minirromãzeira é mais adequada que a romãzeira. Pede sol constante. Resistente a condições diversas de temperatura e tolerante a podas.

Laranjinhas Kinkan – Não gosta de solo úmido e como as romãs ela precisa que a terra seque entre uma rega e outra. Precisa ser adubada regularmente e precisa de muito sol. As flores aparecem na primavera e no verão, mas os frutos surgem somente no outono. No entanto, ela pode frutificar mais de uma vez por ano.

Amoreira – A amoreira não precisa de sol direto o dia todo, mas pode buscar os raios solares a ponto de seus galhos chegarem a quatro metros de comprimento. Em lugares fechados, a irrigação deve ser intuitiva, ou seja, quando se percebe que a terra está seca é hora de molhar a planta.

Mesmo morando em um apartamento, é possível cultivar frutíferas.

 

 

Jabuticabeira
Até 2050, a porcentagem da população brasileira que vive em centros urbanos deve pular para 93,6%%. Isto quer dizer que cada vez mais devemos encontrar formas de aproximar a natureza de nossas vidas. Estamos longe da década de 1940, onde apenas 30% das pessoas moravam em grandes cidades, por isso o plantio de árvores frutíferas em vasos é uma tendência certa.

 

O cultivo delas não está mais limitado aos pomares, é perfeitamente possível ter algumas em vasos. O importante é seguir alguns preceitos essenciais para desfrutar de frutas como romã, araçá, acerola, pitanga, e até cítricas, como laranja, bergamota, kinkan e limão.

 

 

Mexerica
Com apenas 20 litros de terra já é possível ter alguma arvorezinha crescendo em um vaso. Logicamente o espaço destinado para o crescimento das raízes é um fator fundamental para o desenvolvimento da planta. Além do mais, a quantidade de horas de sol e a fertilização feita com maior intensidade que quando são cultivadas na terra são fundamentais para se ter bons resultados. Se pretendermos uma boa “safra”, seis horas de sol diárias, uma adubação completa com nitrogênio, fósforo, potássio e micronutrientes e regas três vezes por semana, dependendo do clima, são itens básicos.

 

Pitanga
Em uma varanda, no pátio ou até em uma sacada de apartamento, gastando a partir de R$ 40,00, com um vaso de barro, substrato e a muda, pode-se começar com uma coleção de frutíferas que, com o tempo, transformará em um pomar esse cantinho tão árido que vemos hoje.

 

Cabeludinha

Também é importante levar em conta o clima da cidade onde moramos. Regiões muito quentes não são apropriadas para espécies de clima temperado, e o contrário do mesmo modo é valido: árvores frutíferas da região amazônica como bacuri ou cupuaçu não se adaptam às temperaturas sulinas.

A seguir uma pequena lista de árvores que podem ser cultivadas em vasos por região:

REGIÃO NORTE

bacupari
araçá-boi
Seriguela
acerola
carambola

REGIÃO NORDESTE

caju-miniatura
imbu
araticum-liso
murici
ameixa-da-mata

REGIÃO CENTRO-OESTE

bacupari
guabiroba-do-campo
pitanga-do-cerrado
camboim
araçá-comum

REGIÃO SUDESTE

cambuci
grumixama
guamirim
cabeludinha
jabuticaba-graúda

REGIÃO SUL

marmelinho
goiaba-serrana
uvaia
romã
figo

Autor: Raul Cânovas

ATENÇÃO

❗
❗
❗

Comprar imóvel com Corretor de Imóveis regularizado é mais SEGURO! Consulte meu CRECI:
http://www.creci-rs.gov.br/site/consulta/
DIGITE: 51288 ou meu nome PIERRE XAVIER

Acompanhe-nos:

FACEBOOK > bit.ly/face-pierreimoveis

YOUTUBE > bit.ly/youtube-pierreimoveis

INSTAGRAM > bit.ly/insta-pierreimoveis

TWITTER > bit.ly/twitter-pierreimoveis

LINKEDIN > bit.ly/linkedin-pierreimoveis

SITE > pierreimoveis.com.br

Pierre Xavier
Corretor de Imóveis | CRECI RS 51288
O Compromisso de um Bom Negócio!
51 9336.2204 WhatsApp

 

Comentários

Comentários